Esqueça antes de começar.

imagem: propaganda do Slimfast.

Antes as pessoas namoravam e casavam. Antigamente, na verdade, ter um encontro já era sinônimo de namoradinho, nem que fosse por um dia. Dar amasso não existia e ficar de mãos dadas era só na frente dos papais, de domingo à tarde, vendo televisão. Beijinho? Só na hora de dar tchau, na porta.

Sem graça. É, sem graça. O bom disso ter mudado é que, obviamente, apenas dois bonecos poderiam se conhecer e se dar bem assim a ponto de casar. Não duas pessoas! Não estou duvidando que o amor possa surgir com o tempo, apesar de eu realmente não acreditar muito nisso… Mas, meus pais se conheceram assim. Aliás, nem se conheceram, já que anos depois veio o divórcio. (e se minha mãe tivesse casado com o ex dela, eu certamente seria loira de olhos azuis. Mundo cruel!)

Hoje, a gente fica. Fica e vai ficando pra conhecer a pessoa. Transa e vai transando pra ver se tem encaixe. Evita aparecer em público, porque não é nada sério. Não pode contar para os pais o motivo de um sorrisinho ou de um soco raivoso na porta, porque, afinal né? Não é nada sério.

(Só um adendo: antes, se o rapaz que sentou no sofá da sua casa te fizesse sofrer, seu pai com certeza tiraria satisfação por você, moça indefesa! Agora você pode criar um blog e reclamar diariamente sobre isso, por exemplo. 8))

Aí, como não é nada sério mesmo, a garota fica com um outro cara… Ele reencontra uma ex… Mas a ficada continua, minha gente! Eles descobrem as traições-entre-aspas um do outro e dá merda, é claro. Dá merda porque o ser humano é instintivamente ciumento. Dá merda porque tá na cara que esse tipo de relacionamento foi feito pra dar merda, assim como o método de paquera dos meus pais. Daí vocês param e pensam, ficam putos e não podem discutir a relação, já que nunca existiu uma relação.

Ele até estava gostando de você, você até que gostava dele, mas ao compararmos toda a dor de cabeça, as fofocas, a desconfiança e toda aquela gente comentando, fica claro que é muita bagunça pra pouco relacionamento. Logo, não dá pra pensar em absolutamente nada mais sério, porque como começar alguma coisa baseando-se na desconfiança, não?

Agora, a gente finge que não se apega, faz de conta que se você passar a noite na casa dele a coisa não vai tomar outro rumo e se faz de insensível para um ou outro carinho, porque já sabe que não pode ficar deprê por não ter isso todas as noites…

Sabe o que é pior? O pior é que antes nossos avós não sabiam direito quem dividia a cama com eles. Agora, nós temos que deitar na cama sozinhos, enfiar a cara no travesseiro e fingir que esquecemos aquilo que nem começou.
.

ps: para quem se interessa por este tema, recomendo o textão que escrevi no Diário de Solteiro: “As 4 regras do amor livre. Digo, da ficada”.

Deixe seu comentário

Comentários

Comentários via Facebook

Comentários via blog

  1. Sinto em lhe informar que mais um pouco esse post me deixaria na deprê… e olha que eu tenho namorado hein.. rs. É uma pena que tudo o que vc tenha dito seja a mais pura verdade. Hoje é muito ruim conseguir um relacionamento sério, e qd consegue, é muito difícil de mantê-lo (eu que o diga!).
    Bjinhos ;*

  2. Não tiro e nem coloco mais nenhuma linha! Ficou muito bom o post! E como vc disse: “É muitabagunça pra pouco relacionamento”.

    beijo

  3. Ciúme. Disse tudo…
    Mas no meu caso, é mais sentimento de posse que ciúme. Nunca namorei, por que nunca gostei o suficiente pra isso… Mas até aí não vem ao caso né? Hahah

    Adorei o post.
    Beijão, secuida:*

  4. É impressão minha, ou vc falou de si mesma??

    Bom, eu já passei por isso uma vez.. E a parte que na hora é trágica e depois é cômica é “Daí vocês param e pensam, ficam putos e não podem discutir a relação, já que nunca existiu uma relação.” E se um dos dois não resistir e começar a tal discussão, o outro diz ‘Porque isso? Isso nunca foi uma relação. Eu não te enganei, você que me enganou …” E todas as acusações e blábláblá…

    bjssss

  5. oi, fe ;)
    sinto te decepcionar, mas acho que tu tá mal informada sobre “os de antigamente”… to casado ha 49 anos e, “no nosso tempo” tinha amasso, sim, tinha beijão, sim, tinha aquilo na mão & e a mão naquilo, sim, tinha o escurinho da ultima fila do cinema, sim, e tinha o que hoje não tem mais: dançar coladinho, fungando no pescocinho… e tudo +, so não tinha a publicidade que hoje tem…
    [ ]s & ;-***
    jotaesse

  6. Eu acho que sobra amor para os dias de hoje, no meu caso confesso que sonho com um amor meu quase que todos os dias mas quando aparece uma pessoa legal eu faço o favor de desaparecer ou encontrar vários defeitos para não adiante e ai se vão 22 anos (no meu caso) e quando você se dá conta das pessoas fantásticas que perdeu pelo caminho já não dá para voltar atrás porque você tem 30, 40, 50 e poucos anos e está com alguém bacana mas que você nem ama tanto assim para passar sua a vida assim e entrou nessa por uma rotina em comum, quanto a aquelas pessoas que você julgava “imperfeitas” cabe só a lembrança e o pensamento de como poderia ter sido.

  7. [Comment ID #3257 Will Be Quoted Here]

    hahaha
    eu me inspirei em histórias minhas e de amigas, inclusive misturando tudo (e é o que geralmente faço nesses estilos de posts por aqui).

    O fato é que essas coisas acontecem demais, só que, AINDA BEM, estou livre desse tipo de situação nesse exato momento.. :P

  8. [Comment ID #3258 Will Be Quoted Here]

    hahaha
    claro que tinha, sem dúvida alguma. Eu só precisava fazer uma generalização para causar o choque. rs Assim como até hoje tem gente que vive um namoro ridiculamente certinho – são as exceções.

    A questão é que as complicações da “publicidade” dos relacionamentos abertos de hoje são MUITO maiores. Talvez porque hoje SEMPRE envolva sexo, antes nem tanto..

  9. Eu, assim como muitas – tenho certeza, já passaram por essa situação: não podem cobrar por não existir relação, mesmo com vontade e alguns motivos pra isso.
    Só sei que não é fácil, mas não deixa de ser deliciosa toda essa confusão. :P
    Bjitos!

  10. Concordo com você!!

    Sorte que ja tenho meu cobertor de orelha! Digamos assim, que no mei dessa loucura toda, desse jogo de disputa no qual os dois saem perdendo, a gente se achou!

    Mas eu acho que o que dificulta as coisas é a dificuldade em assumir o sentimento, por mais que a gente passe por bobo e tolo!

    Beijos

  11. Fê, eu não vou falar que eu sou você amanhã, pq sei lá rs
    Apesar de ter feito comunicação e ser 10 anos mais velha, te darei um conselho maravilhoso:
    Tu tem 20 anos, vá beijar mto, passeia, faz tudo que você pode nessa vida.
    Eu curti muitoooo, mas sabe o que é muito?!
    Até que casei nova, com 25 anos anos, mas eu te digo uma coisa: casamento é muito bom, mas tem hora que vc para e pergunta “pq eu casei”, tirando esse assunto de ter uma pessoa para dividir o travesseiro, tem a questão conta, brigas, quem deixou a toalha molhada na cama, a pia cheia de barba e etc.
    Então digo, aproveita tudo que você pode aproveitar, pq até 30 anos é vida!
    Bjs

  12. Ahh não que seja contra o casamento kkkk
    Apenas explicando, casamento é bom quando já curtimos tudo que devemos curtir, entendeu?!
    É outro mundo querida!
    Eu amo estar casada, mas que tem hora que enche o saco (principalmente as contas para pagar).

  13. [Comment ID #3266 Will Be Quoted Here]

    hahaha
    mas nossa, eu não falei sobre casar! hehe

    Na verdade, eu não tenho a menor intenção de me casar antes dos 30, acho loucura demais… Agora passear e beijar muito eu tô fazendo, gata. Pode deixar. hehe

  14. Nossa, achei complicadíssimo esse negócio, coisa de mulher, definitivamente…
    Meu penúltimo relacionamento foi quase um casamento, 6 anos, e era uma bosta, o foda que vc somente consegue ver as coisas quando sai dali… Dá uma sofridinha (dona) no começo, mas passa. Relacionamentos exigem um esforço muito grande para dar certo e hoje me dá muita preguiça isto, talvez amanhã, quem sabe.
    Com certeza o mundo de hoje é absurdamente melhor do que na época dos nossos pais e avós, a única coisa que era melhor naquela época era o ar…

    Acho que no fundo temos que brigar pela nossa felicidade… Quando se sente algo por alguém, exponha-se e seja feliz, se não deu certo, paciência, amanhã é um novo dia e com certeza muito melhor do que ontem e talvez pior do que amanhã. E o passado, bem este, deixe para traz, talvez na memória ou em algumas fotografias.
    Que venham as possibilidades!

  15. ai fê, que tristeza…. rsss
    a gente fica com tanto medo de se comprometer com as pessoas, se esquivando tanto, que acaba se afastando, confundindo, complicando… @_@

  16. É, um problema que a nossa geração tem, e acaba atingindo primeiro as mulheres, que se apegam mais rápido. Mas sabe, acho que a chave para que de certo qq relacionamento é compromisso, bom senso e muito amor mesmo. Pq se tiver compromisso, você tem respeito e consideração (isso significa não-traição); com bom senso a gente aprende a ceder em alguns momentos e a compreender o próximo (e o próximo vai fazer o mesmo com a gente, afinal ninguém é perfeito; ou o imperfeito é o perfeito, hehe). E o amor é que faz tudo valer a pena! ;)

    A vida ainda tem solução, não se engane!! xD

    Seu blog rox!! (trocadilho, há)

  17. Você disse tudo. E já avisei lá em casa que eu não me vejo casando, sinceramente não consigo. Acho que o único ser no mundo que me desperta a vontade de casar é o ator Ricardo Álamo e é somente ele. Espero que a minha irmã seja feliz no seu futuro casamento, pois o namoro dela parece namoro das antigas, pois é todo certinho.

  18. É isso mesmo! Hoje o amor é algo fútil para a maioria das pessoas, o que vale msm eh o prazer e a satisfação do momento… nada mais de envelhecer juntos! Se vc encontrar o AMOR de verdade, e ele te encontrar, você tirou sorte grande, muiiitoo grande!

  19. A vida virou um oba-oba que parece não ter idade para acabar… Quando encontramos um ser unico entre tantos temos que dar valor e segurar com unhas e dentes!
    Beijos

  20. Adorei o texto!
    Casamento é complicado mesmo, eu bem sei disso acabei de sair de uma crise q deu em separação,mt briga,choro,prantos,magoas…
    Agora estamos voltando aos poucos, começando do 0 mas cm uma filha linda prestes a fazer um ano…
    brigar eh ruim…mas…depois a reconciliação eh MARA!!
    KISS

  21. Fernanda, adorei esse texto, adorei o blog! Tô chegando agora mas já gostei bastante do que vi por aqui!
    Beijo!

  22. Ei moça
    Joinha??
    Vi seu blog la no gravati e vim dar uma olhada
    adoreiii *-*
    Vou te linkar ok? assim poderei voltar o//
    Tudo de bom pra vc
    Bom fds e feriado
    Bjoka ;**

  23. Apesar de ter 24 anos, continuo me sentindo de outra época….não sou do tipo q fica com vários, aliás, nem com poucos…..acho q sou mais à moda antiga….prefiro ser achada a procurar, e assim por diante. Mas é bem isso o q vc escreveu, não há mais DR, até pq o conceito de relacionamento mudou radicalmente…..o problema dessa evolução é o fim do “pra sempre”….apesar q o “pra sempre sempre acaba”….sábia Cássia Eller =)
    Bjão flor.

  24. Excelente texto, até parece uma base para um roteiro aí, um curta aqui, e voilá, prêmio…pq falar de relacionamento e amor é isso, não tem prazo de validade, não tem tempo pra discutir e falar, não é moda, mas está sempre por aqui, ali, acolá… fantástico!

  25. Acho que vai ser assim pra sempre, né. Não gosto de nenhuma das duas opções.

    O problema são justamente esses “joguinhos” de fingir não se importar, de não dizer, de fingir que não é.

    Porquê não pode demonstrar afeto? Gostar hoje em dia é quase um pecado. Quem gosta está se expondo, e isso não é legal. Gostar é pros fracos.

    E então nós pulamos de uma ficada superficial pra outra, esperando que o vazio em nossos peitos seja preenchido de alguma maneira.

    É meio idiota dizer isso, talvez, mas eu acredito no amor. E acredito em afeto e em dizer a verdade.

    Acho que esse é o problema do mundo. A gente sempre foi ensinado a sair por cima, a se dar bem em tudo. E a sinceridade vai pro brejo.