Não peça emprego para estranhos

Quase sempre que saímos para gravar, alguém me faz alguma proposta. Não sei se o microfone chama tanta atenção, mas já recebi curriculums de ene ex-jornalistas que assumiram algum outro cargo informal, fotógrafos de mergulho (?), produtores querendo comprar a câmera da equipe ali no ato e por aí vai.

Mas nada se compara ao vendedor de sorvete que conheci ontem. Nada.

Equipe e eu viajamos logo cedo para a praia com o único objetivo de gravarmos edições especiais de um programa e perdemos a séria oportunidade de produzir um auto-viralizante webhit.

Após ter uma das gravações interrompidas por risadas em função do sr. Zé do Picolé abrindo a camisa e mostrando todo seu músculo abdominal, aka pânceps, não estimulado há pelo menos um quarto de século, sou abordada pelo mesmo (não o do elevador) e jogo no lixo uma séria oportunidade de uma bela piada.

O homem de uns 40 e poucos veio elogiando nosso trabalho e mexendo nos óculos meio sujos. Disse que já havia acessado diversas vezes o portal em que trabalho, comentou que já tinha nos visto antes entrevistando pessoas na praia (nunca fomos lá), e emendamos o seguinte diálogo que, se não me falha a memória, foi isso aqui:

– Como a senhora se chama?
– Fernanda.
– Então, Fernanda, vocês que trabalham com comunicação, né, tem muitos contatos, né. Você conhece essas produtoras de conteúdo adulto?
– Não.
– Então, é que, é porque eu tenho muito interesse, né, que alguém me apresente, né. Eu, por exemplo, gostaria muito de ter uma oportunidade. Mudar para o ramo pornô.
– Sei. (LOLHEHEHAHUAHSUHEES)
– Vou te contar a minha história. É que eu já enviei diversos e-mails para a produtora Brasileirinhas, sabe a Brasileirinhas?
– Sei. (LOLHEHEHAHUAHSUHEES)
– Então. Já enviei diversos e-mails para eles, mas eles dizem que só contratam pessoas que estão na mídia, uns modelos, gente conhecida. Será que você não poderia me ajudar, me ajudar a encontrar uma oportunidade no mundo pornô?
– …
– Aí no seu portal, né, vocês não conhecem ninguém? De repente uma oportunidade aí mesmo? Posso gravar alguma coisa.
– Infelizmente, só trabalhamos com entretenimento.

E, três minutos depois, uma lâmpada de ideia pisca na minha cabeça com um sério delay e eu tenho a certeza de que perdi uma grande oportunidade de dizer para o sorveteiro:

– CARA, É A CHANCE DA SUA VIDA! SOBE NESSA PEDRA E ME DÁ O SEU MELHOR! Me  mostra tudo o que você sabe fazer! Mas, assim, tá? Não pode ter vergonha, preciso ter a certeza que no estúdio você vai dar o seu melhor. 3, 2, 1… AÇÃO!

(…)

Os meninos da equipe racharam de rir acreditanto que fosse um belo pedido de teste do sofá (AGH!), mas eu só consegui imaginar o sorveteiro sujinho pegando a Leila Lopes (mals, Leila, você foi a primeira pessoa que veio à cabeça).

Deixo o conselho: jamais peçam empregos para estranhos, meus caros.

.

Deixe seu comentário

Comentários

Comentários via Facebook

Comentários via blog

  1. Hahahahahaha
    certeza que ele tava dando em cima de você! hahahahaha

    você devia ter aproveitado e pedido pra dar uma olhada no material! vai saber…

  2. Pô Fê….

    se vc grava esse papo, o tiozinho sorveteiro com certeza absoluta estaria assinando o contrato com a brasileirinhas amanhã, já que ele ficaria famoso hoje.

  3. HAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHA
    Me acabei de rir aqui.. Ruim foi imaginar o tiozinho fazendo o tal filme (OMG! tenho q parar de interpretar ao pé da letra td que leio). Ótimo post pra fechar meu dia. =D