Vamos juntos transformar a cidade?

Ter sua casa e seu cantinho para descansar e viver momentos bons com a família é direito de todos, mas infelizmente não é assim que tem sido para grande parte da população brasileira.

Pensando nessa situação vivida por mais de 11 milhões nas favelas do Brasil, a organização social TETO Brasil, em atividade no país há 10 anos, realiza esta semana uma grande ação de Coleta de fundos para manter seus projetos sociais em andamento.

amigos-teto

Nos próximos dias  5, 6 e 7 de maio, mais de 10 mil voluntários vão às ruas para arrecadar recursos em cidades como São Paulo, Santos e Campinas (SP), Rio de Janeiro, Duque de Caxias e Niterói (RJ) e também Curitiba (PR) e (Salvador). Este ano, a campanha é inspirada pela tendência de fotos #FollowMeTo, tem cliques de Paulo Barros e mostra de forma sensível e impactante moradores(as) puxando para dentro de suas comunidades outras pessoas dispostas a ajudar na construção da nossa cidade.

Impossível não ser tocado por esta ação, especialmente em tempos tão complicados. Se puder doar, doe. Se puder ser voluntário, participe. Acesse o site da campanha e saiba como participar!

Mais imagens da campanha depois do pulo!

TETO_FB_lourivaldo

Leia mais

13 fotos incríveis da Women’s March nos Estados Unidos

Logo após a confirmação da eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos, muitas mulheres dos Estados Unidos começaram a se organizar para uma grande marcha após a posse. A princípio, o evento aconteceria em Washington, mas foi ganhando uma enorme proporção e o que se viu no último final de semana foi uma verdadeira maratona de mulheres por todo país reivindicando seus direitos e também zelando pelos negros e imigrantes. Além de ter contado com uma multidão de americanas ‘comuns’, muitas celebridades também saíram de casa para discursar, cantar e levantar cartazes. A continuidade de projetos de planejamento familiar e o respeito às diferenças deram o tom das reivindicações.

Um pouco de como foi a manifestação em diversas cidades você confere nas imagens a seguir, que dispensam apresentações. É realmente impressionante ver a força do movimento e a importância de pessoas públicas levando a mensagem mais longe.

womens-march(1)

nyc

cruzamento em Nova York

image (2)

C2t8mx0XAAA_gLt

Miley Cyrus no protesto de Los Angeles

image

image (1)

manifestantes em Washington

1A2A3669(2)

Uzo Aduba faz referência a discurso de Meryl Streep no Globo de Ouro 2017

sydney


C2tNqiwUkAAgX9V

Kristen Stewart na marcha em cidade próxima à Sundance

C2tx4RAXAAEMgAN

Melissa Benoist, a “Supergirl”, com um dos melhores cartazes na marcha de Washington

C2tXn7pXAAAsRqK

Charlize Theron na manifestação em Sundance

Cher

Cher na marcha de Washington

littlegirl_womensmarch

E os discursos de Scarlett Johansson e Madonna:

 

Fotos via Refinery 29, Glamour.com e redes sociais.

Snapgram: você ama ou odeia a novidade do Instagram?

Semana passada uma novidade um tanto quanto “familiar” tomou conta do nosso Instagram: o modo “Stories”, com a possibilidade de postar conteúdo em foto e vídeo que desaparece depois de 24 horas. Soa familiar? Pois é, não só soa familiar quanto é bem igualzinho ao Snapchat.

Com a novidade, muita gente (eu, inclusive) ficou confusa com qual aplicativo usar. Para quem trabalha com conteúdo, então, a situação aperta mais ainda: vamos produzir o mesmo tipo de coisa para os dois aplicativos? Aonde vale a pena investir mais tempo e atenção?

Estou discutindo isso e mais um pouco no vídeo de hoje, com todos os motivos para amar – ou não – esse update copy paste do Instagram. Por enquanto, ainda tenho a impressão que os dois aplicativos podiam coexisitir numa boa, mesmo o querido Zuckerberg não gostando disso, e sinto que o Instagram acaba de se tornar uma rede social “nem-nem”: não é nem isso, nem aquilo.

Assiste o vídeo para entender essa treta e se inscreve no canal para receber os vídeos primeiro! ;)

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

Sem perder o foco: 20 centavos e 20 outros problemas

Imagens lindas povoaram o noticiário ontem à noite: centenas de milhares de pessoas saíram por todo o Brasil para um grande protesto. Um protesto tão grande que sua causa inicial, o tal aumento de 20 centavos na passagem de ônibus, não comporta mais o significado do movimento.

Vi de perto os trilhões de cartazes que se espalharam pela Faria Lima em São Paulo, cantei junto o “3,20 é um assalto” e outros gritos de guerra que levavam o povo para a rua. Até mesmo porque três reais já era um assalto, não? Qualquer pessoa que discorde disso provavelmente nunca teve de usar ônibus ou metrô além da linha verde em São Paulo por mais de um mês na vida.

Agora é certo que esses 20 centavos são a ponta do iceberg. Apenas a ponta: via-se reivindicação também a respeito de absolutamente tudo (anti-PEC 37, anti-Globo, anti-corrupção, anti-Alckmin, anti-Dilma, anti-Copa…) e até recados fofos e vagos como “mais amor por favor”. É uma gracinha, mas é inútil. Ninguém quer amor dos governantes. Esperamos ação, esperamos respostas (Dilma, estou falando com você), esperamos mudanças. E para as mudanças acontecerem, precisamos ter foco e clareza, até mesmo para não deixarmos esse tipo de coisa acontecer. Aproveitadores não faltarão.

Salão do Automóvel e as novidades da Chevrolet*

o estande imenso da Chevrolet no Salão do Automóvel em São Paulo

Visitei o Salão do Automóvel pela primeira vez há mais ou menos 5 anos. Na época, fui pela curiosidade e pela diversão, mesmo. Eu ainda nem tinha carteira de motorista e não sabia muito bem o que procurar num carro. Por isso mesmo, voltar ao evento neste final de semana a convite da Chevrolet foi uma experiência bem diferente. Hoje sou consumidora: sou mais uma paulistana que fica no trânsito e, mais do que isso, estou naquela fase de pesquisar um carro novo.