Rex Restaurante, para comer e beber até tarde: Imagens da Semana

Para ver tudo o que já contei nesta tag, clique aqui.

Um dos jeitos mais espertos de se escapar do caos da cidade é adotar um horário alternativo. Dá para evitar um pouco do trânsito, do pico do transporte público e até mesmo da fila do cinema – chegar e comprar o ingresso sem preocupação é luxo para poucos em São Paulo! O problema é quando alguns serviços da cidade não acompanham o ritmo de quem já adotou um horário diferente para viver.

Quer exemplos? Bares e restaurantes com cozinhas que fecham, impreterivelmente, à meia-noite. E o que dizer dos lugares que nem abrem aos domingos à noite para o jantar? Não sou ninguém para aconselhar donos de restaurantes, mas nestas horas, mesmo estando na maior capital do país, o público se sente numa cidadezinha do interior.

.

Rex: cheio até altas horas

Pois foi justamente numa situação difícil – domingão e tarde da noite – que visitei, finalmente!, o Rex. Ele estava sempre ali, no jeito e de portas abertas na Consolação, mas nunca havíamos parado para lhe dar atenção. Que erro grotesco! Foi só colocar o pé ali dentro e provar o primeiro drink para saber que vou voltar muitas e muitas vezes.

.

bloody mary: meu favorito bem preparadinho

O ambiente descontraído e com trilha sonora bem pensada faz você se sentir à vontade. O serviço é bacana e amigável, também te deixa livre para escolher o que estiver afim. Você não vai se sentir pressionado a pedir um prato ou um drink. Você pode só beber ou só comer, ou então pedir uma cerveja e pular para sobremesa. O clima de acolhimento, aliás, faz a casa ficar cheia mesmo num tal domingo de madrugada, deixando claro que há público para mais estabelecimentos com essa proposta em Sampa.

.

cogumelos puxados na manteiga

Steak tartare acompanhado de pãezinhos e batatas

Os pratos tem preços variando entre 40 e 60 reais, drinks em torno de 20 e entradas de 20 a 30 reais. Provamos a porção deliciosa e bem servida de cogumelos puxados na manteiga e também dividimos um steak tartare, que é servido como entrada compartilhável, mas eu recomendaria para uma pessoa só – talvez você ache gostoso demais para dividir. ;)

.

decoração cheia de detalhes

Quero voltar para provar os pratos, que são servidos mesmo a este horário – e não se espantem por eu estar batendo nesta mesma tecla, viu? Quem tenta jantar depois das 11 da noite em São Paulo sabe bem do que estou falando. Vida longa ao Rex, um lugarzinho especial que também faz a gente se sentir em outro lugar – yeah, New York, I’m looking at you! 

VAI LÁ: Rex Restaurante – R. da Consolação, 3193 – São Paulo, SP. Horários e demais informações aqui.

Cateto, queijos e cervejas artesanais na Mooca: Imagens da Semana

Para ver tudo o que já contei nesta tag, clique aqui.

Cateto: cervejas, queijos e um lugar para passar horas degustando novos sabores

Quem disse que só se pode harmonizar queijos com vinhos? Hora de rever isso aí. Os sócios do Cateto – Beber e Comer Artesanal resolveram tentar algo diferente: unir queijos brasileiros com bebidas de cervejarias artesanais. O bar de ambiente rústico e aconchegante apóia produtores locais e abre suas portas justamente num bairro que carecia (e muito!) de novas propostas. Sim, é no coração  da Mooca, meu! Oba!

.

as cervejas e o cardápio do Cateto

No Cateto, não há cozinha. Tudo é preparado à vista e no balcão. O menu de comidinhas foca em sanduíches e em tábuas de queijos e embutidos. Já a geladeira tem cervejas diferentonas que já ficaram famosas e muitas do tipo “achado”,  que nunca tinha ouvido falar ainda – caso da Madalena, de uma cervejaria do ABC. Também dá para levar tudo para viagem, com exceção do chopp Colorado, tirado ali no bar, na hora.

.

o balcão e algumas peças de queijo para levar para casa

Provamos duas cervejas diferentes (Madalena e Curupira), o chopp, uma porção de bruschetas que levam linguiça defumada, além de uma bela tábua de queijos. No dia em que fomos, ainda estava rolando uma degustação e tivemos a felicidade de comprar queijos diretamente com o produtor mineiro. Os queijos, aliás, são sempre servidos com uma porção de pesto ou de mel. Para escolher tudo isso, um dos donos, o Márcio, nos deu recomendações e foi super prestativo.

Das cervejas às comidas, tudo estava maravilhoso, sem exceções. Os mais puristas só não vão gostar de uma coisa: as bebidas são servidas em potes de vidro, não em copos. Não me incomodo e acho que tem a ver com a proposta, mas, é… Prefiro copos. rs

.

as bruschetas e a maravilhosa tábua de queijos: diferentes texturas e sabores

O Cateto é lugar para chegar relativamente cedo  e passar a tarde comendo e bebendo, sem preocupação – especialmente se você adorar queijos e cervejas. rs Como o local é pequeno, talvez seja realmente bom ficar atento à este detalhe e se programar. Algumas degustações tem sido marcadas na casa, por isso a lotação também pode variar bastante. Ah sim: o som também faz jus ao estilão da casa e é uma verdadeira viagem no tempo.

.

as sacolinhas para levar sua “marmita” para casa

Ultimamente, o bairro vem ganhando várias novidades que se destacam das tradicionais pizzarias e faço questão de prestigiar, até mesmo porque é ótimo não ter que atravessar a cidade só para tomar uma cerveja num lugar legal, para comer num bistrô, ou num japa com preparo de respeito.

Estes lugares das redondezas, aliás, estão despertando a curiosidade até de gente que chamava a região de “zona lost”. Casos recentes são o do Cadillac Burger, que foi eleito uma das melhores hamburguerias da cidade em 2013 segundo a Veja (já falei sobre ele aqui no blog também) e o Bravo Bistrô, que está entre os 10 mais de São Paulo no Trip Advisor.

Será que finalmente a Mooca vai entrar no mapa de São Paulo também para os “modernos”? Torço para que sim. Há muitos bairros além de Pinheiros, Vila Madalena e Jardins que merecem as visitas dos recém-chegados.

.

PREÇO MÉDIO: Aqui tudo vai depender do seu consumo de álcool. A nossa conta saiu em R$53 por pessoa.

VAI LÁ: Cateto – Beber e Comer Artesanal. Rua Fernando Falcão, 810 – Mooca. Aberto de quarta a domingo.

Mini-guia: restaurantes e bares favoritos em São Paulo

Sempre dou dicas de muitos lugares legais para visitar por aqui, mas uma coisa ou outra acabam passando! Por isso, resolvi fazer essas duas listas com alguns dos meus lugares favoritos para comer e beber em São Paulo, de um jeitão bem rápido e sem delongas, assim quem está de passagem pela cidade por causa do feriado tem mais ideias de onde ir e quem já mora por aqui, quem sabe!, conhece lugares diferentes através do post!
.

o sensacional secreto burger do Chez Burger e um pedacinho do milk shake de pistache ali atrás

 

RESTAURANTES FAVORITOS

Um temaki: Temakeria e Cia.

Um hamburguer: Lanchonete da Cidade (muitos posts aqui)

Um fast-food: kebabs do Pita Kebab
(e não deixe de comer a torta zebra, pelamor dos meus filhinhos!)

Um milk-shake: o de pistache do Chez Burger
(mas os burgers são excelentes, também. o pão merece menção honrosa!)

Drink em restaurante: Bloody Mary no Lorena 1989, agora Chez Lorena
(arrisco dizer que é o melhor bloody da cidade, nunca provei melhor que esse!)

Aberto até mais tarde: Tutto Italiano
(gostoso, bom preço e ambiente aconchegante!)

Para almoçar ao ar livre: Zena Caffé (posts aqui)

Para almoçar com família grande: Consulado Mineiro (posts aqui)

Para ir a dois: Marakuthai (posts aqui)

Para ir com os amigos: Marcelino Pan Y Vino (posts aqui)
(também dá para ir a dois, dá para ir sozinho, com a família… Simplesmente vá! rs) 

Para comer algo diferente: o basco Donostia
(o ambiente é lindo e o lado espanhol do país Basco fala alto e tem muitas *tapas para picar también*!)

.

o Sancho Bar Y Tapas lotadão no sábado à noite e com o balcão cheio de delícias!

 

BARES FAVORITOS

Um chopp: Filial

Uma caipirinha: Pé de Manga
* as do Velloso são muito famosas, mas lá é tão lotado que simplesmente é impossível ir à noite. Tentei ir duas vezes e não consegui!

Para tomar cervejas diferentes: Melograno (posts aqui)

Para tomar drinks feitos à risca: Bar Numéro (post aqui)
(esse é lindão, bem de “boyzinho”: rola um clima de “ver e ser visto” meio chato, mas tem quem curta)

Para se sentir no Rio de Janeiro (e comer coisinhas de lá também): Pirajá
(a feijoada aos sábados é um must eat! rs) 

Para ficar ao ar livre:  Skye, no Hotel Unique

Para os dias de chuva: Barão da Itararé (post aqui)

Para cantar com os amigos: karaokê da Choperia Liberdade
(verdadeiro clássico da madrugada paulistana)

Para conhecer gente, se é que me entendem: Puma Social Club (posts aqui)
(entre um joguinho e outro, muita coisa acontece, viu? o bar reabriu depois de um hiato e continua ótimo!)

Para um belo de um esquenta: Sancho Bar Y Tapas
(fui nesse final de semana e AMEI, vou postar aqui ainda. É na R. Augusta, perto de várias baladas, super descontraído e com tapas deliciosas e com preço camarada. Vale dar uma priorizada, os bares espanhóis estão virando moda na cidade!)

 

.

nerdiando no equipo da Funhouse

Mas… E as baladas? Entonces, São Paulo tem casas noturnas para todos os gostos e é sempre tanta novidade que mesmo saindo bastante a gente não dá conta de conhecer tudo – mesmo tocando, não dá pra conhecer tudo! rs

Eu, que não vou dançar toda semana, fico desatualizada do último grito da **night**. Masss, de bate-pronto, recomendo três lugares: D-Edge, sempre uma opção para quem curte eletrônico (preste atenção no dia: de sexta é noite gay e de sábado o público é meio misturadão – vou de sexta,  mas sábado é só quando é a salvação!), Vegas Club (sempre tem alguma coisa bacaninha), Estúdio Emme (lá o lance são as festas itinerantes; cheque qual será a festa que estará por lá, tem várias divertidas, como a Squat Party).
.

ps: Espero ter ajudado os leitores que vieram me pedir dicas esta semana! Quem quiser mais, deixa aqui nos comentários e eu tento ajudar. ;)

.