Taste of São Paulo: comendo nos melhores restaurantes da cidade num dia só!

Nossa vontade de comer bem e ampliar os horizontes gastronômicos é uma realidade há tempos – o sucesso do “Masterchef” que o diga, não é memso? Por isso, fiquei um tanto quanto curiosa quando ouvi falar do festival “Taste of São Paulo” pela primeira vez em 2016. Este ano, pude finalmente ir passear na segunda edição do evento e “brincar” neste parque de diversões foodie que foi montado novamente no Clube Hípico de Santo Amaro!

Um dos pratos que provei: torresmo de barriga com goiabada do A Casa do Porco

No #TasteOfSP, alguns dos melhores restaurantes da capital montam suas cozinhas e servem quatro pratos cada, sendo três tradicionais do cardápio da casa e um quarto prato exclusivo para o evento, tudo com preços variando entre R$15 e R$30. Além disso, rolam aulas de culinária e até degustação de vinhos para quem adquiriu ingressos especiais. No meu caso, fui cobrir o evento para vocês, mostrar esse lugar que vira um grande pique-nique e é claro: COMER! rs  No lineup desse festival, 30 restaurantes paulistanos marcam presença, como DOM, Fasano, Nino Cuccina, A Casa do Porco, Bar da Dona Onça, Pizza Brás, Adega Santiago, Jiquitaia, Mocotó, Fechado pra jantar, Eataly e outros.

Dá o play para sentir o clima e ver quanto gastamos! Aproveita e se inscreve no canal  para receber os vídeos primeiro!

Para ver outros vídeos já publicados, clique aqui.

 

 

Como seriam vídeos de receitas feitos por diretores como Tarantino e Wes Anderson?

Se você assistiu “O Grande Hotel Budapeste”, certamente em algum momento ficou com desejos açucarados por toda a confeitaria que aparece no filme – e que é mostrada tão lindamente! Agora já parou para imaginar como seria um vídeo de receita dirigido ao estilo do diretor Wes Anderson? Todo centralizado, com aquela paleta de cores cuidadosa e uma trilha sonora agradável? Ok, aposto que você nunca imaginou nada disso, mas o videomaker David Ma sim!

David é food stylist, diretor de comerciais e apresentador e resolveu emular o estilo de quatro diretores de cinema famosos em sua nova série de vídeos. Entre eles estão o já citado Wes Anderson, Quentin Tarantino (“Pulp Fiction” e etc) , Michael Bay (franquia “Transformers”)  e Alfonso Cuarón (“Gravidade”). Em cada post, uma receita diferente, mas de fato se Anderson criasse um canal com vídeos assim, eu já estaria inscrita na certa. De resto, Michael Bay rendeu uma boa piada com waffles que se levam muito a sério e a massa italiana no vídeo de Tarantino acabou até tirando um pouquinho da nossa fome graças à associação com o sangue nos filmes do diretor.

Smores à la Wes Anderson:

Uma massa à Tarantino:

Waffles à la Michael Bay:

Panquecas à la Alfonso Cuáron:

Hoxton: grandes comidinhas, cerveja e música boa na Mooca | #Pinedicas nº1

Não é de hoje que o bairro mais cool da Zona Leste de São Paulo vem se enchendo de novidades: tem hambúrguer sensacional , bar de cerveja e queijo que faz(ia) muita gente atravessar a cidade (a ponto até de inaugurar uma unidade em Pinheiros!), festa nos trilhos do trem e ainda tem muito mais nessa lista que eu mesma ainda preciso compartilhar ou conhecer – para depois contar por aqui, claro. Enfim: depois de um longo inverno sem dicas ~gastronômicas~ neste famigerado site, voltamos à ativa com um novo nome para esta tag (comentem o que acharam do trocadilho e riam comigo, por favor, obrigada!) e com uma dica nesse bairro tão querido: o Hoxton Bar!

hoxton

ambiente do Hoxton Bar

Antes de mais nada, é importante dizer que, apesar dos pesares, nossa Mooca ainda tem poucas opções para o público potencial que tem. E isso é percebido facilmente quando simplesmente não há mesas para sentar num bar como o Cateto, citado lá em cima, ou quando há uma espera gigante por uma mesa na incrível A Pizza da Mooca (essa tô devendo contar aqui!). Pior ainda é o susto que é tentar a sorte para comer no Cadillac Burger num sábado à noite hoje em dia. Não duvido que muita gente acabe desistindo. Por isso mesmo, encontrar um novo lugar bom e que (ainda) comporta seu público, é quase um alívio para quem mora por essas bandas – sabe como é, o Uber encareceu e beber longe de casa nessa crise… Não tá sendo fácil. rs E veja só: o lugar não toca sertanejo.

Nada contra sertanejo, tenho até amigos que são (risos), mas para quem não é fã, como eu, alguns lugares chegam até a ser impeditivos por conta da trilha sonora, do DVD tocando e dos 10% pro garçom que aumenta. Você só queria beber, sabe? Enfim, prefiro evitar. E no Hoxton uma trilha sonora deliciosa me surpreendeu e separou o bar da concorrência: toca rock, indie e até um Justice de leve para apimentar as coisas. Quem diria! Mas vamos falar do que interessa.

hoxton_bar0

o cardápio

Nada de muitas páginas cheias de pratos: são 9 porções/petiscos, mais alguns sanduíches e só uma sobremesa na casa, um mil-folhas que não provamos, mas que parece realmente algo. Os preços são amigáveis e as porções são super fartas: os pasteizinhos saem por 28 com 9 unidades grandinhas e o franguinho a passarinho custa R$30 e vem super bem servido e suculento.

hoxton_bar1

hoxton_bar5

o frango a passarinho e os pastéis sequinhos do Hoxton

Sem saber de toda essa fartura, também experimentamos os bolinhos da casa, feitos com farofa de castanha de caju e recheados com ricota, acompanhados de geléia de damasco. Mais uma porção bem servida, vegetariana e diferente, “quase” light. Só não é leve de fato porque os bolinhos são fritos, mas chegam tão sequinhos no prato que até achamos que eram assados.

hoxton_bar

os bolinhos da casa com farofa de castanha e geléia de damasco

O jeitão rústico de servir não compromete: o preço pé no chão e as porções recheadíssimas fazem do Hoxton também um bom lugar para comer. A carta de cervejas não é das mais extensas, mas tem bons exemplares com preços razoáveis e as bebidas são servidas em copos, não em potes (que bom!).

Já a carta de drinks foca mais em caipirinhas, para minha tristeza: um bom bloody mary teria feito eu me apaixonar de vez pelo lugar. De qualquer forma, poder comer um frango a passarinho suculento com uma Colorado geladíssima me deixou um bocado feliz.

Outros pontos altos do lugar: comandas individuais caso a mesa queira e um ambiente externo que, durante o dia, permite que os clientes venham com seus cachorrinhos. Uma graça! Na próxima, vou querer um sanduíche e o tal mil-folhas.

hoxton2
VAI LÁ: R. Ibipetuba, 182, São Paulo, SP. Horários, cardápio e informações extras aqui.

Domingo na Av. Paulista: review do Burger Joint de SP, compras nerds e #File2016

Depois de alguns meses dizendo que eu precisava ir ver a Paulista abertona aos domingos para os pedestres, finalmente me programei e fui. Montei um roteirinho maneiro que incluía: ir e voltar de metrô (porque né? sem carros!), almoçar no Burger Joint (tem duas filiais brasileiras e uma delas é no Top Center, na Av. Paulista), visitar a File 2016 (evento de arte e linguagem digital) e, finalmente, tentar comprar um jogo novo num dos shoppings da avenida que seeempre têm preços melhores. hehe

Tudo isso está no vlog de hoje, inclusive o “polêmico” review do Burger Joint que, sim, é gostoso, mas pelo preço dá para ir em uma séééerie de outras hamburguerias que já citei e recomendei pra vocês aqui no site. Holy Burger e Tradi, por exemplo, passam na frente disparado. Precisam rever os valores urgente por lá! hehe 

Assista o vídeo para entender mais do ~causo e se inscreve no canal para receber os vídeos primeiro! ;)

Tradi: a hamburgueria que sabe ser gourmet sem firula

Em meio ao antro coxinha da Vila Nova Conceição, uma hamburgueria nasce para fazer todos os raios gourmetizadores tremerem. Anote este nome e coloque na sua lista de lugares para comer: a Tradi veio para ficar.

Com a sede de chamar a atenção na concorrida cena de restaurantes desta cidade de São Paulo, já sabemos que está cheio de estabelecimento pensando só em decoração, só em cerveja gourmet ou só em qualquer coisa que não seja fazer o mínimo aceitável. Ou, quando fazem, cobram um exagero inaceitável por isso.

tradi_salao2

Vinho no verão: testei o serviço da Sonoma

Até pouco tempo, muita gente tinha o pré-conceito de que vinho era bebida de inverno e cerveja uma bebida de verão. Pois que engano, minha gente! Amo cerveja também, mas poucas coisas são mais deliciosas que um vinho geladinho no calor e à beira da piscina. Se for um prosecco muito bem acompanhado então, melhor ainda. Como admiradora de vinhos, já tenho percebido que essa cultura mudou um pouco, mas ainda vejo muita gente na dúvida: que bebida comprar, afinal, no calorão?

wine_sonoma

vinho, sol e mar também combinam!