Os bastidores de “A Família Addams”: o figurino, os sapatos e as perucas do musical em cartaz em SP!

Os Addams: Vovó (Iná de Carvalho), Wandinha (Laura Lobo), Tropeço (Rogério Guedes), Gomez (Daniel Boaventura), Morticia (Marisa Orth), Fester (Claudio Galvan) e Feioso (Gustavo Daneluz)
.

O músical “A Família Addams” já recebeu mais de 200 mil espectadores e fica em cartaz no Teatro Abril em São Paulo até o fim de outubro. Antes que a temporada chegue ao fim, o espetáculo abriu as portas dos camarins e recebeu o blog nos bastidores para que eu e você pudéssemos ver todo o figurino bem de pertinho! Antes de fazer essa verdadeira viagem ao universo da peça, você pode reler a resenha do musical aqui; todo o serviço da peça (e dica boa para concorrer a ingressos gratuitos!) você encontra no final do post.

as portas dos camarins!

Quem conduziu quase toda a visita aos bastidores desta superprodução foi a experiente Nena de Castro, supervisora de figurino que já trabalha no Teatro Abril há anos. Ela diz que começou na área colocando a mão na massa mesmo. Até chegar aos musicais incríveis que entram em cartaz todo ano na “nossa Broadway”, Nena trabalhou com costura e depois com figurino para publicidade. Atualmente, no entanto, o caminho está mais curto: “Hoje em dia é mais fácil entrar na área, existem muitos cursos específicos de figurino”, explicou.

Com essa mestra ao meu lado, vi a lavanderia gigante do teatro, olhei de perto o incrível vestido preto e roxo (cheio de truques!) de Mortícia (Marisa Orth), dei um zoom nos acessórios que a gente nem sonha que eles estão usando lá da platéia e, claro!, dei uma espiadinha nos camarins. E tenho que dizer: que CHEIROSO é o cantinho do Daniel Boaventura, o nosso Gomez! 

O FIGURINO

Visitei os camarins do teatro cerca de quatro horas antes do espetáculo e ainda estava tudo uma calmaria só – mas  já tudo devidamente organizado! Os camarins grandes tem a volta toda de bancadas iluminadas para que cada ator possa se maquiar e no centro ficam as araras com o figurino de cada um pendurado e etiquetado. Para fazer toda a mágica acontecer a tempo, os atores chegam duas horas antes da peça já encontram tudo ali no jeito depois do trabalho das camareiras.

Como é de praxe nos musicais da Broadway que estreiam em São Paulo, nada é inventado aqui: todos os figurinos são adaptações fiéis dos originais e muitos tecidos são inclusive importados para que a confecção possa ser feita de acordo com as medidas do elenco aqui no Brasil.

O figurino do elenco principal é incrível, mas quem quiser ver referências além do gótico de Mortícia e Wandinha (Laura Lobo) deve prestar bastante atenção no coro de ancestrais, os fantasmas da peça. Como cada um dos personagens viveu (e morreu) em uma época diferente, cada um ali veste elementos bem diferentes: temos uma dançarina melindrosa dos anos 1920, uma índia americana pré-Guerra Civil, um general com jeitão de quem serviu a Primeira Guerra Mundial, uma dama da corte francesa, uma aeromoça chique à la Pan Am… Enfim, são tantas referências que em alguns personagens nem conseguimos identificar a época, caso da noivinha clássica coberta de renda, mas nada certinha, afinal já está vagando por esta e outras dimensões há muito tempo…
.

a noiva e a aeromoça

detalhes do figurino do Gomez

as quatro trocas de figurino de Wandinha, com direito à mini-jaqueta e vestidos de jacquard.

Só que figurino de teatro não é só bonito, tem também seus truques! Ao puxar uma fita escondida, o vestido decotado de Mortícia vira um curtinho ainda mais sexy para que ela dance um tango sensual com seu amado Gomez. A foto não ficou tão boa porque realmente é preciso ver em alguém vestido, mas quem for assistir à peça vai entender direitinho! ;)
.

.

Leia mais

The Creators Project: Imagens da Semana

Para ver tudo o que já contei nesta tag, clique aqui.

.

“Six-Forty by Four-Eighty”: os pixels interativos de Zigelbaum e Coelho

Neste domingo fui com o Rafa à terceira edição do The Creators Project que rolou aqui em São Paulo. O evento mistura música, arte, tecnologia e agora até gastronomia numa parceria entre a Vice e a Intel. Assistimos ao show da Karol Conká, dançamos ao som do Leo Justi,  visitamos as instalações que chegavam até a ter fila (!) e também comemos nas barraquinhas dos chefs da feira O Mercado, que estavam instalados por lá fazendo a alegria do povo – comi dois sanduíches deliciosos e não vejo a hora de ir na feira oficial mesmo, que é realizada uma vez por mês na cidade. Com certeza venho contar aqui!

Uma das instalações que eu achei mais legal (sem fila e super intuitiva para interagir) foi a “Meditation”, de Minha Yang. Aproveitei para fazer um vídeo para mostrar a obra (vocês vão entender como funciona), mas a ideia do artista é de promover uma conexão profunda consigo mesmo ao trabalhar com as formas e o som emitido pelos círculos centrais. Infelizmente tive de trocar o áudio original do trabalho do artista porque estava muito barulho e mal dava para ouvir, mas já dá pra ver a obra em ação:

.

Adorei o evento (que teve entrada grátis), a música boa, a cerveja barata e as comidinhas despretensiosas! As obras são sempre incríveis e o Creators ganhou e muito ao se mudar da Bienal para o Moinho. Nem se compara esta edição com a do ano passado, mas imagino que eles já estejam pensando em algo diferente para o ano que vem! Deixo vocês com mais algumas fotos e, lá pra frente, o que eu escolhi vestir para o dia (atentendo a pedidos! hehe).

 A instalação “Parede” de Rejane Cantoni e Leonardo Crescenti: você tirava uma foto do seu olho e ele ia  automaticamente para o mural digital

no centro, o meu olho e o do Rafa aparecendo juntos! hehe

a barraca com os melhores sandubas!

vista geral da “praça de alimentação” e da galera modernete 

.

E O LOOK!

Enquanto esperávamos o DJ Leo Justi começar, aproveitei a pista semi-cheia para registrar o look para quem sempre me pede! rs O vestido tem estampa de lenço espelhada e o efeito é super legal no corpo, mas fiquei chateada porque não esperava que ele fosse amassar tanto, mesmo sem ficar sentada. Peninha, mas agora já sei que infelizmente não dá pra usar esse aí para um jantar, por exemplo.

Jaqueta: OMK Couro (guerreira!); vestido: River Island; colar de triângulo invertido: Ebay; meia: Trifil; bota biker e bolsa: Asos

.

A Mooca é “in”, meu bem: cenário de clipe, filme, desfile e agora recebe o Creators Project!

Se antes o bairro da Mooca era lembrado apenas pelas pizzas, pelas fábricas antigas e abandonadas ou pelos cenários da novela “A Próxima Vítima”, agora a região vem conquistando pouco a pouco um arzinho “cool” – ou pelo menos vem sido lembrada com bastante freqüência pelos produtores audiovisuais e de eventos.
..

Depois que as ruas do bairro serviram de cenário para as cenas externas do filme “Os 3” em 2011, um antigo ferro velho do bairro foi aproveitado como passarela inusitada para receber o desfile de Verão 2013 da Cavalera, no último São Paulo Fashion Week.

.

Para completar, os super moderninhos da Banda Uó resolveram levar suas cores para o bairro e gravaram seu mais novo clipe por lá, o “Faz Uó”:

.

Só para confirmar o “hype” (risos!), nos dias 4 e 5 de agosto o centro de eventos Moinho (antiga balada Moinho Santo Antônio, quem lembra?) vai ser palco do The Creators Project, evento gratuito que reúne instalações de arte, exibições de filmes e debates com convidados especiais.

Este ano, entre os destaques estão a instalação interativa “The Treachery of Sanctuary”, de Chris Milk, o documentário sobre a finada banda LCD Soundsystem, um painel sobre moda sustentável com Oskar Metsavaht, outro sobre música com os fodões do “do it yourself” Emicida e Ganjaman e as barraquinhas de comes e bebes da feirinha gastronômica O Mercado!

.

Bota no calendário e já faz o RSVP que vai valer a pena! E, claro, preciso dizer: sou vizinha da região e tô adorando esse aproveitamento diferente, meu! São Paulo é muito grande pra receber coisas bacanas apenas em 5 bairros. ;)

.

“Arte Constrói”: shows para ajudar a população de S. Luiz do Paraitinga

Quer ajudar as vítimas das enchentes de São Luiz do Paraitinga e não sabe como? Taí uma sugestão!

Eu estou procrastinando aquela limpezona no armário de início de ano, mas assim que a fizer, ela será dedicada integralmente ao pessoal de S. Luiz. Além de existirem muitos postos particulares e alternativos de arrecadação, qualquer posto da PM da cidade de São Paulo recebe doações para a cidade: desde água e alimentos não perecíveis até roupas e colchões.