O que você virou depois de crescer?

“O que você vai ser quando crescer?
Jogador(a) de futebol, bailarina, astronauta, qualquer coisa, menos professor (a).”

Dá até para imaginar esse diálogo acontecendo de verdade. Depois de tanta overdose de gente bonita e elegante,  não é de se estranhar que toda nossa geração de 20 e poucos seja meio artista frustrado. Uns porque realmente são artistas frustrados (e quem sabe eu não me inclua nisso daqui uns anos de bateção de cabeça) e outros porque são aparecidos que não deram certo, que conheciam alguém que conhecia alguém e esse alguém furou na hora do QI.

Aquela encheção de saco desnecessária.

favor não ligar a serra antes das 10h.

Nunca escrevi críticas “ferrenhas” a trabalho, e quando não tenho nada construtivo para dizer, me abstenho. Mas imagino o quão pau no cu e bad vibe deve ser  abundar-se numa cadeira com a plena certeza de levantar-se só dali duas horas, depois de perder o happy hour e de dissecar por a+ b porque tal filme, peça de teatro ou game é um lixo, uma bosta das grandes, simplesmente porque aquilo é sua obrigação: opinar. Ou dar a opinião que esperam de você.