Cásper Líbero: 4 anos, os saldos, as saudades.

romeus e julietas

durante gravação em maio no Ibirapuera

Faltando quase um mês para a entrega de meu TCC, resolvi por na balança o que a faculdade me trouxe. Não estou falando de conhecimento,  nem de contatos,  muito menos de aulas chatas e minutos mal dormidos em cadeiras de um braço só desconfortáveis e bambas.

Estou falando do que a instituição faculdade te traz. Os amigos, um trote, uma briga em grupo, meia dúzia de desafetos, interação com outros cursos, paixões platônicas por professores e festas tão cheias de esbórnia que te fazem querer se enfiar embaixo da terra tão logo amanhecer a segunda-feira.

Entrei na faculdade cedo, com 17, e desta lista toda, vivi poucas, mas vivi outras coisas também. E talvez se eu entrasse na faculdade novamente, teria me jogado muito mais em alguns aspectos e deixado pra lá aqueles debates polêmicos de bixete achando que sabe alguma coisa. Não, eu não sabia de nada. Provavelmente ainda não sei, mas sabia menos ainda antes.

Algumas noites de sono não foram boas, outras foram tão boas que eu quis mais no meio da aula – o que fez a Lari praticamente criar um álbum com fotos de Fernanda dormindo com N cabelos diferentes (é verdade. Se um dia ela liberar as fotos todas, eu mostro as menos piores ou as com menos baba).

Alguns amigos vão ficar pra sempre, outros certamente vão passar e, como dizem, tem quem você mal conversava que vai virar uma pessoa mais que próxima. Isso ainda não sei, mas dos outros dois fatos, já tenho certeza.

Devo à faculdade ter aprendido a tomar cerveja com gosto, a(s) minha(s) primeira(s) bebedeira(s) e o certificado de graduação em armar barracas e desmontá-las depois na metade do tempo e com um quinto da disposição. Tudo graças ao JUCA e, em outros casos, a qualquer jogo do qual sua faculdade participe.

Aprendi que não se aprende por osmose, que não vão te cobrar jamais e que é bem possível fazer metade das provas sem estudar quando o estágio pegar pesado. Ao contrário da escola, ninguém torce para que você se dê bem, ninguém vai te chamar para conversar. Eles torcem para você se destacar.

E para se destacar, só depende de você.

Fico feliz de sair sendo reconhecida por nome e sobrenome pela maior parte dos “mestres”, coisa que no colegial jamais aconteceu durante três anos por eu não ser nerd o suficiente em química ou física, mas  ao menos  fui querida para os professores de humanas, porque eram essas notas que sempre me garantiam boa colocação na escola.

Não dou à faculdade o maior crédito pela prática de minha profissão, porque aprendi na prática: trabalhando, ralando e chorando com produções que caíam. Dou o crédito pelo conhecimento de causa, pela segurança de falar: faz assim, faz assado e tá errado. Dou crédito por notar, em plena conversa de bar, que posso falar sobre manipulação de informação com a mesma facilidade com que falo de planos de câmera, edição, trilha sonora e sobre como aquele ator é gato demais da conta.

Na verdade, o que aprendi na prática não foi a me comunicar, mas sim que devemos nos comunicar. Se está errado, fale.  Se não concorda, fale.  Se tiver que comprar briga, compre.  Se for lavar roupa suja, lave o cesto inteiro. Respire fundo e recomece. Todos vamos trabalhar em grupo e o modus operandi de um grupo também têm altos e baixos, também precisa morrer pra renascer com a idéia nova genial que vai dar aquele prêmio tão sonhado para cinco amigos sem um puto no bolso.

Se eu entrasse na faculdade hoje de novo (ou se eu entrar mais pra frente), vou me envolver mais, vou procurar mais, vou cobrar de quem está lá para me formar antes que eu me forme. Mas isso é só um “se”: o fato é que está terminando e a saudade aperta antes do tempo.

Aperta forte, aperta fundo, transborda meus olhos e eu nunca quis tanto que o tempo parasse para eu reviver melhor algumas coisas quanto agora.

Obrigada, Cásper.

JUCA, comprinhas, revistas – Imagens da Semana

Quase coladinho no outro “Imagens…” por causa do feriado. 8)


JUCA

juca.

JUCA: todo um clima de spring break, como bem disse o @heliofabioreis

4 dias de festa, bateria, empolgação, cerveja e a minha amada tequila em Santa Rita do Sapucaí – MG. Na foto, eu com o agasalho da Aguante, torcida organizada da Cásper Líbero, da qual comecei a fazer parte. Agora se você não se importa com nada disso e quer mesmo é saber dos bafões e das porcarias que eu aprontei, vai lá no Diário de Solteiro: contei tudinho (ou quase…) – e também expliquei como funciona o JUCA.

Pra variar, tem mais fotos no flickr!


Comprinhas


Dia desses, descobri a Khoris, loja online multi-marcas com toda espécie de roupas, acessórios e cacarecos em geral que faz sua mão coçar em busca do cartão de crédito. A minha coçou e eu não resisti: camisetinha rolling stones inspired + colar de asas de anjo, que eu já queria há muito tempo. O site tem uns precinhos salgados, mas eles entregam rápido, então dependendo da compra, vale a pena!

Rolling Stone Brasil e Women’s Health
(fotos com a webcam, pra não enjoar.)

.

Quando vi a Lady Gaga na capa da Rolling Stone americana, já senti até um pesinho no bolso. Óbvio que eu ia querer comprar! Aí, por algum milagre divino, repetiram a capa (e não sei se o recheio também!) na nossa versão brazuca!

Comprei e não li tudo ainda, porque comecei a folhar a maldita na banca e guardei quando entrei no ônibus. E eu digo maldita mesmo, porque o formato da “Rolling…” me irrita. Não dava pra ter largura normal? Pode até ser padrão, gringo, estilão e etc., mas a portabilidade fica zero. Eu (e todo mundo que lê em meios de transporte) deve achar chatérrimo uma revista largona. Pensem nisso.
.


.
não se deixem levar pelo “barriga sarada”: a revista não é só casca, não.

Quanto à Women’s Health: por seu formato normal, foi ela que ganhou minha leitura no busão. Nunca tinha comprado, a capa chamou minha atenção e, tcharam, adquiri. Para minha surpresa, a revista é ótima! Ela não tem aquelas baboseiras de plástica/botox/drenagem/agulhas-sem-dor, e fala de coisas mais saudáveis, de comportamento, enfim. É como se eles quisessem te deixar saudável por inteiro. Gostei e comprarei mais vezes!

(aliás, segundo a Lia, eu tô muito natureba-saudável desde que comecei o “pilates” e, enfim, eu discordo! Alô, bacon! Mas o fato é que eu tô me matando no tatame há 5 meses, então é natural que meu interesse pra essas coisas tenha aumentado! Agora só falta aumentar a força de vontade e imendar uns exercícios aeróbicos aí – porque eu também estou enrolando com isso há 5 meses.)

“No time to think of consequences”

…Porque assim foi meu feriado: louco, pirado e inconseqüente (ressaca moral, alguém?). Ou seja? Ótimo.
Portanto, ainda estou me recuperando e quis deixar o novo clipe ótimo, pirado e inconseqüente do MGMT,  “Kids”.

Leia mais

Fernanda Young, festinhas e curta novo! – Imagens da Semana

post atrasadinho, já que é quarta-feira, mas gigante, inclusive com o bumbum de Carolina Dieckmann!

Não vi a Stephany segunda-feira na festa da Pix, mas teve de tudo essa semana: desde Carolina Dieckmann e Lobão até curta-metragem novo e coquetel da VIP ontem no Unique. Chique!

.

Novo Curta

Sapatos Apaixonados

Foi a última coisa que eu fiz nesta “semana”, mas coloquei em primeiro lugar porque quero que vocês assistam! Cof-cof. E mil perdões para os pedestres cuja passagem eu atrapalhei nas calçadas da Av. Paulista: foi por uma boa causa!

Fiz este curtinha com a minha câmera sony h50 para o Festival de Curtas Celucine, que tem a proposta de lançar “filmes que cabem no seu celular”. A idéia deles é ótima, mas fiquei com vontade de berrar na orelha dos organizadores, porque 5MB é muito pouco para um vídeo de até 3 minutos! 10 MB obviamente ainda não é bom, mas seria um pouco melhor e cabe num celular do mesmo jeito. Logo, tive que mandar o curta para o festival numa qualidade zoada, mas pelo menos no youtube ele está bonitinho!

.

Irritei Fernanda Young
.


.
a foto tá um horror, tanto que nem pus no flickr! Mas queria mostrar o corpão dela. Invejei os sapatos.

.
Quarta-feira me uni a uma super galera da faculdade e lotamos uma van, no melhor estilo “caravana-do-topa-tudo-por-dinheiro”. O destino eram os estúdios da Bossa Nova Filmes no paraíso, onde é gravado o programa Irritando Fernanda Young, do GNT. Eu que adoro o programa e adoro ela, ri horrores nas duas gravações que assistimos e fiquei besta com as bundas e as coxas da Carolina Dieckmann, que é linda e simpática viu, minha gente? Ah, sim! Achei o Lobão praticamente um ursinho de pelúcia. E engraçadíssimo, sem dúvida! (Mais fotos no flickr!)

(Depois do jump tem happy hour do diário de solteiro, cervejada lôca e a festa da revista VIP.)

Leia mais

Meme das 100 coisas

… Vi no blog da Lia e não resisti! Respondi e comentei alguns itens absurdos. E, claro, os riscados eu já fiz, os não-riscados, não. 8)


1. Criou seu próprio blog.

2. Dormiu sob as estrelas. (acampei no Juca e acamparei de novo!)
3. Tocou numa banda. (sim. Foi uma micro jazz band e eu tava no piano)
4. Visitou o Havaí.
5. Viu uma chuva de meteoros. (não. Quem já viu isso? ¬¬)
6. Doou mais do que podia pra caridade.
7. Foi para a Disneylândia.
8. Escalou uma montanha.
9. Segurou um louva-deus.
10. Cantou solo.
11. Pulou de bungee jump. (pulei de high jump, que é o contrário, você vai de baixo pra cima. De Bungee Jump, eu não tenho coragem.)
12. Visitou Paris.
13. Viu uma tempestade de raios no mar.
14. Aprendeu uma forma de arte sozinho.
15. Adotou uma criança.
16. Teve infecção alimentar. (sou estômago de avestruz e só vomito por razões emocionais, believe me or not.)
17. Visitou a Estátua da Liberdade ou o Cristo Redentor. (os dois e também as Torres Gêmeas antes de serem destruídas.)
18. Cultivou seus próprios vegetais. (pô, eu era a maior cultivadora de feijões durante a pré-escola!)
19. Viu a Monalisa na França. (e, como eu já disse, é um quadro que mais parece um porta-retrato. Me desapontou um pouco!)
20. Dormiu num trem-leito. (na Europa e aqui, quando ainda existia o Trem de Prata que fazia São Paulo – Rio de Janeiro.)
21. Participou de uma luta de travesseiros.
22. Viajou pedindo carona.
23. Faltou por estar doente quando não estava. (um clássico!)
24. Construiu um forte de neve.
25. Segurou um carneiro.
26. Mergulhou pelado. (eu era criança! hehe)
27. Correu uma maratona.
28. Se escondeu em uma gôndola em Veneza. (por que raios alguém faria isso? As gôndolas ficam no rio!)
29. Viu um eclipse total.
30. Viu o nascer e o pôr-do-sol.
31. Fez um home-run.
32. Esteve em um cruzeiro.
33. Viu as Niagara Falls ao vivo.
34. Visitou o lugar onde seus ancestrais nasceram.
35. Viu uma comunidade Amish.
36. Aprendeu uma língua nova sozinha.
37. Teve dinheiro o bastante pra ficar realmente satisfeito.
38. Viu a Torre Inclinada de Pisa.
39. Escalou nas rochas. (não sou nada ecológica. Inclusive, eu só acampo porque é Juca.)
40. Viu “David” de Michelangelo.
41. Cantou karaokê.
42. Viu um géiser em erupção.
43. Pagou uma refeição para um estranho.
44. Visitou a África
45. Andou na praia à luz da lua.
46. Foi transportado por uma ambulância.
47. Teve um retrato seu pintado.
48. Pescou no alto-mar.
49. Viu a Capela Sistina.
50. Esteve no topo da Torre Eiffel em Paris.
51. Mergulhou ou fez snorkel.
52. Beijou na chuva.
53. Brincou na lama.
54. Foi à um cinema drive-in. (existe cinema-drive-in por aqui ainda? Eu fui só no drive-in mermo… hehe)
55. Foi ao cinema.
56. Visitou a Muralha da China.
57. Abriu seu próprio negócio.
58. Teve aula de artes marciais.
59. Visitou a Rússia.
60. Trabalhou em uma cozinha do sopão.
61. Vendeu biscoitos de escoteiras.
62. Admirou as baleias. (no Sea World! Shamu rocks!)
63. Ganhou flores sem motivo.
64. Doou sangue.
65. Pulou de pára-quedas.
66. Visitou um campo de concentração nazista.
67. Teve um cheque devolvido.
69. Salvou um brinquedo de infância.
70. Visitou o Lincoln Memorial.
71. Comeu caviar.
72. Fez um quilt.
73. Foi até Times Square.
74. Conheceu os Everglades.
75. Foi demitido. (pedi demissão para mudar de emprego, do qual fui mandada embora meses depois. #VDM)
76. Assistiu a mudança de guardas em Londres.
77. Quebrou um osso.
78. Andou em uma motocicleta de corrida.
79. Viu Grand Canyon ao vivo.
80. Publicou um livro.
81. Vistou o Vaticano.
82. Comprou um carro zero.
83. Andou em Jerusalém.
84. Teve uma foto sua no jornal.
85. Leu a Bíblia inteira.
86. Visitou a Casa Branca.
87. Matou e preparou um animal para comer.
88. Teve catapora. (duas vezes! Believe it or not².)
89. Salvou a vida de alguém.
90. Participou de um júri.
91. Conheceu alguém famoso.
92. Participou de um clube do livro.
93. Perdeu um ente querido.
94. Teve um bebê.
95. Viu o Alamo ao vivo.
96. Nadou no Great Salt Lake.
97. Processou alguém ou foi processado.
98. Teve um celular.
99. Foi picado por uma abelha.
100. Foi ao Canal do Panamá.

Quem quiser roubar, fique à vontade! 8)

(Quase todos) Os cinco melhores de 2008

Como eu não resisto a fazer listas, fiz um montão de top 5’s com um pouco do que eu vi, ouvi e vivi neste ano que chega ao fim depois de amanhã.

5 Filmes no cinema:
1. Um beijo roubado
2. Sweeney Todd – O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet
3. Irina Palm
4. Vicky Cristina Barcelona
5. Rebobine, por favor (que merecia um mega post, mas vou deixar passar. Assistam! É o que importa.)