Retrospectiva: o melhor do blog em 2015!

Uau! Mais um ano se passou nesta humilde residência online e, devo dizer, apesar das bad vibes  do ano, foi bem produtivo. Além de ter feito uma primeira temporada de vídeos para o canal no Youtube (se inscreve que ano que vem tem mais!), foram em torno de 180 posts compartilhando novidades, opiniões e mantendo vivo esse espaço que, ano que vem, completa 10 (dez) aninhos – talvez você nem saiba que eu existo há tanto tempo na Internet, mas é isso aí minha gente… Um dia eu conto em vídeo essa história online, tá?

retrospcetiva2015

‘eyes and mouth’ via shutterstock


É sempre difícil fazer essa lista de fim de ano e colocar uma lupa na minha própria produção, mas mais uma vez tento trazer aqui aquele resumão com o melhor do site este ano. Tem horas que fico em dúvida nessa eleição, mas o segundo turno é sempre de vocês:
o post com mais shares, leva!

Aproveito, aliás, para agradecer todos os comentários e cada like que vocês deixam por aqui. Sei que em tempos de muito conteúdo nem sempre é possível parar e deixar uma opinião, mas o compartilhamento é uma ótima forma de saber que estamos e continuamos em sintonia! Meu sincero muito obrigada! <3 

Relembrar 2015, shall we? Divirtam-se!

a novidade do ano

Ninguém ficou imune aos poderes de Jessica Jones neste segundo semestre: o bom seriado da Marvel em parceria com o Netflix escancarou tanto o talento de Krysten Ritter quanto o problema com relacionamentos abusivos. O barulho da primeira temporada da série aumentou ainda mais com a passagem dos dois protagonistas pela CCXP em São Paulo. Ponto para a Netflix que, ironicamente, é a “emissora” com mais indicações no Globo de Ouro de 2016.

Jessica Jones, obrigada por falar o que faltava

jessicajones_2

+ Novidades aqui

a melhor resenha

Só “Star Wars” passou imune por aqui (quando é que vai ficar liberado comentar, gente?). Outros grandes lançamentos como “Jurassic World” e “Mad Max” ganharam suas resenhas, fora os textos opinativos sobre vários outros assuntos – desde pulseira fitness até as nossas tradicionais resenhas de restaurantes. Não teve jeito: a resenha de “Divertida Mente” foi um sucesso. Se você não viu o filme ainda, veja! Se não leu o texto ainda, leia!

“Divertida mente”: este filme pode mudar o que você pensa sobre felicidade

divertidamente0

+ Resenhas (sobre tudo isso) aqui

a melhor reflexão

Trabalhar com o que ama e adequar seu sonho a sua renda ou adequar seus sonhos para a renda que você tem fazendo aquilo que ama? Em tempos de crise e desemprego, essa pergunta ecoou alto não só na minha cabeça quanto na de muita gente. O vídeo foi um sucesso de compartilhamentos tanto no blog quanto no Youtube.

Deu ruim: e se nada der certo para a Geração Y?

still_geracaoy

+ Textos aqui

Leia mais

Amiga, por que você ainda não joga videogame? 13 motivos para começar agora!

Jogo videogame desde criança e trabalho com esse mercado há uns bons anos. Mas, engraçado, muitos sabem disso não porque lêem o blog, mas porque me seguem em outras redes sociais. Por algum motivo, este assunto tão importante na minha vida não era tão presente por aqui, mas definitivamente está na hora de mudar as coisas!

Embora hoje eu conheça muitas (muitas mesmo!) meninas que jogam, digamos que demorei um tempo para sair desse armário, tudo única e simplesmente porque não tinha companhia. Das duas, uma: ou eu era a excluída na turma dos meninos ou a esquisitona entre as meninas. Legal, #sqn. 

Ao mesmo tempo em que fui percebendo que não precisava de companhia nenhuma para fazer algo que me divertia e me dava prazer, o cenário foi mudando. Hoje falo de boca cheia que me orgulho demais em ver uma timeline recheada de mulheres que, como eu, adoram jogar e não estão nem aí para quem torce o nariz para isso. Se você leitora não entende do que estou falando e morre de curiosidade de saber o que tanto prende as crianças no youtube, então tá na hora de passar a mão no joystick mais próximo e experimentar. ;)

Amiga, por que você ainda não joga videogame? 13 motivos para começar agora!

gamesgirls

‘two girls play videogames’ via shutterstock


1.
Jogar é divertido, desestressante e desafiador. E, sim, vamos começar com motivos bem bestas mesmo, mas ainda assim necessários. Chegar de um dia difícil do trabalho e distribuir headshots nos inimigos vai fazer você se sentir ótima e super útil para o seu time. Não se preocupe com o que vão pensar, simplesmente divirta-se.

 2. Não é ‘coisa de menino’: games são feitos para pessoas, assim como filmes, livros ou qualquer outra forma de entretenimento. Apesar de que, enfim, se existem jogos até para gatos… Talvez realmente não devamos colocar limites ou ter preconceitos aqui, certo?

catgame

3. As mulheres não estão sozinhas nem são a minoria nesse mercado. Pesquisas recentes já comprovam que a porcentagem entre homens e mulheres que jogam está cada vez mais próxima. Outro estudo mostrou que, entre o público adulto nos Estados Unidos, são as mulheres que mais possuem seus próprios videogames. 

4. Videogame é coisa de gente grande: no conteúdo e na prática. Por anos a indústria e seus marketeiros deixaram bem claro seu foco no público masculino e jovem, mas as coisas mudaram um bocado, meus caros. Atualmente, por exemplo, já são mais mulheres adultas jogando do que moleques adolescentes. Fora isso, boa parte dos grandes lançamentos recebe classificação 18+. Sobre isso, vale lembrar: se o seu priminho anda jogando algo violento demais, é bom dar aquele toque para a família reparar na classificação indicativa de cada jogo. Todos precisam deixar isso bem claro na embalagem e há jogos adequados para todos os públicos.

Leia mais

Katy Perry: a artista mais bem paga e 5 lições de negócios para aprender com ela

Capa da “Forbes” de julho, Katy Perry acaba de abocanhar o título de artista mais bem paga do mundo, com ganhos estimados em US$135 milhões de dólares no último ano. O resultado vem quase um ano e meio depois do lançamento de seu último álbum, “Prism”, e de uma turnê mundial arrebatadora. E, claro: uma apresentação viralizante no intervalo do Super Bowl.

katyforbes

Katy Perry e seu negócio de gente grande

Na lista geral das 100 celebridades mais endinheiradas da “Forbes”, a cantora ficou em terceiro lugar e foi também a única mulher a aparecer no top 5. A próxima é ninguém menos que Taylor Swift, com seus US$80 milhões em oitavo lugar.

Com suporte de gravadora, de fãs ativos em redes sociais e de uma equipe que deve dar inveja a muito CEO de executivo, muita gente deve pensar que Katy não acompanha os negócios tão de perto, ou que foca só no lado “artístico” da coisa, procurando sempre a inspiração para seu próximo hit. Não é bem por aí: “Eu sou orgulhosa de ser dona do meu próprio negócio. Eu sou empreendedora e quero abraçar isso”, disse a cantora sobre o assunto.

Agora, quem não se lembra da avalanche de comentários sobre o fato de Katy Perry ser injustiçada no Grammy todo ano…? Bem, parece que o jogo virou, não é mesmo? Hitmaker, viral e, sim, muito rica, Katy tem certamente muita coisa para ensinar sobre como gerir seu próprio negócio e que passos seguir para ter uma vida profissional de gente grande.

5 lições de negócios de Katy Perry:

katy

1. escolha um bom nome

Katheryn Elizabeth Hudson pode ser um ótimo nome para uma empresária, para uma princesa ou para qualquer anônima, mas certamente não é nada sonoro para vender a cabeça e a voz por traz de “I Kissed a Girl”. Para sua “empresa” enquanto artista, o nome escolhido foi Katy Perry, unindo seu apelido ao sobrenome de solteira da mãe. Um nome curto, sonoro e instigante pode fazer maravilhas para ajudar as pessoas se lembrarem quem você é e o que pode fazer por elas. Um bom nome é personalidade instantânea.

2. você vai errar antes de acertar

Se tem algo que Katy sempre soube é que desistir não era uma opção. No filme “Katy Perry: Part of Me”, a jornada difícil da cantora fica bem clara. Empresários que não davam chances, gravadoras que a colocavam na geladeira e dificuldades financeiras longe da família foram algumas das barreiras que a cantora enfrentou no anonimato. Ainda assim, ela ainda encontrou forças para compor músicas para outros artistas e assim se sustentar até que a hora dela chegasse.

Quanto aos erros, não foram poucos: rolou  mudança de nome (ela chegou a lançar um álbum como Katy Hudson), de estilo musical (ela foi considerada uma “nova Alanis” no início) e até mesmo de visual.

Leia mais

[Vídeo] Resenha de produtos terminados: maquiagem, perfume e pele

Não vejo melhor jeito de opinar sobre um produto assim que ele acaba: você usou bastante e sabe bem do que está falando. Por isso mesmo, sempre gostei de ver a opinião das Youtubers cercadas de embalagens vazias! rs Este mês, também acumulei um pouquinho de cacareco em casa para poder gravar o vídeo de hoje, dando minha opinião sobre cosméticos terminados.

Tem maquiagem, perfume e cuidado para a pele de diversas marcas, além de ser uma ótima para quem vai viajar e quer dar uma olhadinha em produtos para comprar lá fora por um preço mais amigável.

Tô contando tudo no vídeo, então dá o play e aproveita para se inscrever no canal também! ;)

5 motivos para ver “Jurassic World” (e dois para não ver)

Depois de 14 anos sem um filme da franquia, o parque dos dinossauros volta para a telona em grande estilo com “Jurassic World”. Apesar da crítica não ter dado muita bola para o filme, a surpresa veio logo no primeiro final de semana: o longa já bateu a marca de maior bilheteria de estreia, superando “Os Vingadores”.

O longa estrelado pelo também Marvel e ‘guardião da galáxia’ Chris Pratt arrecadou $262 milhões nos Estados Unidos e mais de R$20 milhões por aqui. E todo esse povo pagante não está errado, não: tem muita coisa legal no retorno da série às telonas. Vamos a elas!

5 motivos para assistir “Jurassic World”:

jurassic1

Chris Pratt e seu ‘cachorrinho’ Blue em “Jurassic World”

1. O filme respeita os fãs das antigas

De cara, é preciso falar sobre isso, embora mostrar seja dar um pouquinho de spoiler. Como não queremos isso, vamos por partes: caso você ainda não tenha ido ao cinema assistir, saiba que serão várias as referências que o novo longa faz aos antigos, seja através de cenas e personagens, seja através de enquadramentos que marcaram a franquia. E, sim, é muito legal! Agora, se você já assistiu ao filme, vale dar o play neste vídeo, que é um prato cheio para ver se você sacou tudo:

2. O parque é tão de verdade que dói!

Dói porque cadê esses dinos para eu ir lá fazer uma selfie? hehe Americanos são “só” um pouquinho experientes nesse business de entretenimento e de construção de parques temáticos e talvez não fosse algo para se prestar tamanha atenção, porém é impossível não exaltar o trabalho de direção de arte do longa.

São cenários e detalhes da ambientação extremamente bem pensados, desde o grande resort que agora acompanha o parque até o happy hour num restaurante temático cafona. Em resumo: é tudo tão verossímil que o mais improvável mesmo é a protagonista correndo de salto pelo mato. Just saying!

jurassic2

Leia mais

5 restaurantes românticos favoritos em São Paulo

jantar_romantico

Onde o casal vai jantar hoje? 

Pode ser para o Dia dos Namorados que está chegando, ou para qualquer outra data especial: às vezes um casal simplesmente precisa de uma noite incrível para celebrar e um bom restaurante tem um papel essencial nesse tipo de ocasião. A cidade de São Paulo está cheia de boas opções, mas eis aqui os meus favoritos para quando uma luz de velas e um bom vinho certamente precisam estar na mesa. <3

Aviso aos navegantes: os preços pesquisados servem como guia e podem variar. De forma geral, indicam a média por pessoa por jantar, mas vale dar uma olhada nos sites e redes sociais de cada casa para informações atualizadas, afinal, tudo depende do seu pedido. Bom apetite!

5 restaurantes para levar seu amor em São Paulo:

donostia

Donostia

Dividir pequenos pratos com alguém já é romântico e divertido por concepção, logo, nada melhor que um bom restaurante espanhol. Casais novatos, acredito eu, vão curtir 100% a experiência. Os não-novatos e fãs de cozinha espanhola também, é claro. rs O Donostia cresceu e mudou de endereço, mas as tapas que o tornaram famoso continuam lá. O clima é intimista, de luz baixa e quente. Refresque-se com a sangria da casa, que é fan-tás-ti-ca.

Preço: a partir de R$70

forquilha

Forquilha

Um favorito que, de tão especial, faz qualquer jantar se tornar algo só pelo ambiente. Gosto de locais que me transportam para outro espaço-tempo e o Forquilha certamente é um deles, especialmente no inverno. O restaurante tem uma série de pratos preparados no forno à lenha, mas meu favorito inseparável é o gnocchi com gorgonzola e presunto cru. Cito categoricamente o prato porque irei até lá indefinidamente só para comer isso.

De resto, não abra mão da tigelada de goiaba na sobremesa e divirta-se com o sistema de vinhos do local, que permite provar uma série de taças diferentes sem se comprometer com uma garrafa completa. Resenha completa aqui.

Preço: a partir de R$70.

Leia mais