“A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista”: sucesso coração quentinho pronto para o cinema

“A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista”: coração quentinho para este inverno!

Um livro perfeito para rechear uma tarde geladinha de julho, com uma boa xícara de chá do seu lado. Foi essa a situação perfeita que imaginei para curtir o livro “A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista”. Com leitura rápida e leve, as 224 páginas escritas por Jennifer E. Smith passam voando e são estrategicamente planejadas para derreter jovens corações, falando de relacionamento familiar, perdão e, claro, amor à primeira vista.

Unhas inspiradas em “The Great Gatsby” e em outros clássicos

“Great Gatsby”: inspiração de beleza dos anos 20

A estreia de “The Great Gatsby” está despertando loucuras na mulherada da nail art! O filme de Baz Luhrman (mesmo diretor de “Moulin Rouge”) inspirado na obra homônima de F. Scott Fitzgerald já chegou às telonas norte-americanas e fez as gringas homenagearem este e outros clássicos que leram na escola de forma inusitada. Sim, isso mesmo: com as unhas!

“S.E.G.R.E.D.O”: filho único da febre “50 Tons”

“S.E.G.R.E.D.O”: 10 fantasias e muito auto-conhecimento

Depois da hecatombe literária provocada pela série “50 Tons de Cinza” e seu casal de submissa e dominador, mil e uma outras obras chegaram às livrarias. Já recomendamos aqui uma série de outros livros mais “densos” para quem quer ler sobre sexo, mas eis que vem do Canadá uma obra que se salva em meio a tantos livros escritos à toque de caixa.

Literatura erótica além de “50 Tons de Cinza”

Perto do Natal entrei numa livraria e não dava jeito: eram milhares de mulheres carregando, orgulhosas, suas caixas com a trilogia “50 Tons de Cinza”. Algumas compravam pra presente, outras estavam se presenteando e muitas outras estavam com um olho no peixe e outro no gato, já que milhares de outros livros do gênero brotaram nas prateleiras prometendo mais do mesmo.

foto de Natalie Dybisz

“50 Tons de Cinza” na moda: acessórios e camisetas

Todo fenômeno cultural acaba inspirando estilistas de alguma forma. Com “50 Tons de Cinza” não ia ser diferente: além de ter sexo no meio (e de sexo vender), a coisa agrada de cara um público com disposição para gastar com seus hobbies.

Pensando nisso, uma das peças mais legais que vi aqui no Brasil foi o colar criado pela designer Camila Klein e apresentado durante o Minas Trend Preview no final de novembro. A peça inspirada no romance do momento traz pedras em tons de cinza e delicados pingentes com os presentinhos que Anastacia ganha do Mr. Grey: a chave do Audi, o computador, o celular… Tudo “coroado” pelo helicóptero Charlie Tango.

Roberto Carlos lança “melô do dominador” e vira a versão brasileira do Christian Grey

Roberto Carlos e Ian Somerhalder, ainda meu favorito para viver Grey no cinema

Christian Grey, o motivo maior pelo qual a mulherada tolera ler “50 Tons De Cinza”, aparentemente encontrou um oponente de igual calibre aqui no Brasil. E esse cara, minhas caras, é Roberto Carlos.