75 anos de Ray-Ban

Abri minha Nylon desse mês (com a incrível Shirley Manson na capa) e me deparei com a sequência de anúncios comemorativos dos 75 anos da Ray-Ban. As fotos estão lindas e recriam épocas diferentes em cada anúncio, sempre contando com o óculos da marca e com o lema “Never Hide”:

 

Muitos sites de design e publicidade falaram sobre a campanha por conta deste último anúncio, elogiando a postura da marca ao colocar também um casal gay. Vocês já tinham visto? Eu achei sensacional. Como fangirl da marca, não tive como não comentar! rs Todas as imagens da campanha comemorativa estão aqui.

.

Como seria usar um Ray Ban para sempre? Para sempre mesmo?

Da série: “tem louco pra tudo. Sempre tem”.

.
Essa é a história do Matthew. Ele vivia uma vida normal e aparentemente devia ser um dos carinhas estilosos do bairro, ou daqueles que chamam a atenção, porque Matthew tem muitas tatuagens.

.

Não sabemos o que Matthew fazia para ganhar a vida, mas ele parecia realmente feliz. Ele tinha um cachorro e inclusive uma namorada bem bonita:

.

Um belo dia, Mathew recebeu uma proposta da Ray-Ban. Uma proposta diferente, ousada, uma proposta que envolveu algum dinheiro (não se sabe o quanto). Uma proposta que Matthew aceitou.

Num sábado de sol, Matthew foi para um estúdio de tatuagem com seu Wayfarer no rosto e sua namorada para lhe dar uma bela força. Como não se sabe o nome da namorada, vamos chamá-la de Jane. Jane foi lá no estúdio dar aqueeeela forcinha pro boyfriend.

.

Não se sabe por quanto tempo Matthew deliberou para tomar esta decisão, mas ele bem sabia de que seria para sempre! Ele só disse para o tatuador: “mandavê!”.

.

O desenho começou, Matt! Ainda dá tempo de desistir. Tem certeza?

.
NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!


.

E foi assim que o Matt ganhou um óculos de sol eterno no seu belo rostinho rosado. Um “óclinhos” para acompanhá-lo em todos os momentos: vendo TV, chorando, rindo, pingando colírio, correndo no parque, com conjuntivite, queimandinho de sol na praia…

.

E a partir daí a Jane descobriu como é beijar alguém eternamente de wayfarer. A partir daí a Jane ficou pensando como vai ser quando eles estiverem bem velhinhos e ela tiver de explicar para os netos por quantos dólares o vovô topou ilustrar o rostinho…

… E daí a Jane, no mesmo dia mesmo, descobriu o quão bizarro é ter alguém com um óculos pintado na cara suando em cima dela, num quarto à meia luz. Talvez Jane tenha passado a preferir de quatro.

Ray Ban, parabéns! Mandou fodamente bem encontrando esse maluco!

Mattew, só vou pedir uma coisa, que já pediram lá no seu flickr: poste fotos aos 80 anos pra gente dar uma olhadinha.

.

Brincadeiras à parte, o que acharam? Coragem, maluquice, excesso de estilo ou bizarrice?.

ps: pra quem ficou achando aí que é photoshop, tem tudo filmado para a nova campanha da Ray Ban, a “Never Hide”.

ps2: só pra ficar claro, não tenho asbolutamente NADA contra tatuagens, até porque o rapaz já é todo estilosão, mas  acho tatuar um óculos no rosto bem esquisito.

Minha casa é um poço de óculos (fazendo a limpeza no quarto de bagunça, parte 2)

Lembram daquele Ray-ban aviador?

É, continuo insistinto em fazer limpeza no quarto de bagunças, pois achei uma cópia bastante interessante do wayfarer agora – e verde azulado, da Solar Accents:

Mãe, obrigada por ter tido tanto bom gosto para óculos nos 80’s.