Três covers que não parecem covers

então, “I Love Rock ‘n Roll” não é dela!

Algumas músicas são tão, tão boas que a gente custa a acreditar que, na verdade, elas não são originais. Algumas viram verdadeiros clássicos de tanto serem regravadas, mas outras são as responsáveis por lançar um artista ao estrelato e é difícil acreditar que alguém já tinha feito aquilo antes.

Então, vamos lá: três covers muito bons que você achava que eram originais!
.

NATALIE IMBRUGLIA – “TORN

Pode-se dizer que dona Natalie Imbruglia foi praticamente “artista de uma música só” e, afinal de contas, quem não se lembra deste sucesso tocado à exaustão, não é mesmo? O que a gente não desconfiava é que “Torn”  era de uma banda chamada Ednaswap, grupo que eu, pelo menos, nunca tinha ouvido falar.

E ainda bem que a Natalie regravou: a música original era um saco!

.

CYNDI LAUPER – “GIRLS JUST WANNA HAVE FUN”

Hino das garotas nos anos 1980, “Girls Just Wanna Have Fun” é tocado até hoje na noite e ficou conhecido na voz aguda e animada de Cindy Lauper que, aliás, se apresenta em São Paulo esta semana.

A música original, além de ser cantada por um homem (?) é bem arrastada e chatinha. Cyndi fez bem em ter transformado a canção de Robert Hazard em hit absoluto.

.

JOAN JETT – “I LOVE ROCK ‘N ROLL”

E eis que nem a supertalentosa Joan Jett escapou a uma versão. Seu grande sucesso “I Love Rock ‘n Roll” foi gravado primeiramente pela banda The Arrows.

O engraçado é que os arranjos são bastante parecidos, mas o toque sexy  dos gritinhos de Joan Jett é que transformaram o refrão grudento em megahit.

.

Fiquei surpresa com as descobertas, e vocês? No Buzzfeed tem uma lista com mais 12 músicas que ninguém imaginava que fossem versões!

.

5 Ingredientes para bombar um clipe indie

Não é tão difícil fazer bombar um clipe, ou pelo menos não é o que anda parecendo. De mil e um vídeos indie que fazem mais sucesso que a própria música, alguns (muitos) seguem à risca a receitinha.

Para um clipe alternativo de sucesso, vá em frente e adicione:
.

1. Tons vintage na fotografia


2. Um vocalista estiloso

3.  Garota(s) indie(s) de cabelo(s) bonito(s)


4. Pitadinhas de sensualidade e peitinhos a gosto


5. Edição mucho loca (nsfw):

.

Tô zoando aqui, mas ó: esse clipe super not safe for work me convenceu. Fui procurar o conjunto da obra do El Guincho e curti. O cara é espanhol e tem um quê tropicaliente em seu som que contagia; no clipe, o single “Bombay”.

Viu? Sucesso.

Louise Brooks e seu cabelo – Modos de Usar

Estou aqui matutando sobre meu próximo corte de cabelo e inevitavelmente dei de cara com Mayana Moura, ex-modelo e agora atriz de “Passione”. A moça parece ter o único corte de cabelo moderninho atualmente no ar, de forma que só se fala dela e de seu picumã em todo lugar – e só se encontra seu pescoço branco nu em capas de revista esse mês.

O que reparei é que, bem, mil e uma pessoas já usaram o tal cabelo recentemente, todas inspiradas por Louise Brooks, atriz que trabalhou no cinema americano nas décadas de 1920 e 1930:

musa póstuma.

Por enquanto, ainda é modinha da boca pra fora. Não vemos nenhuma mulher comum segurando esse cabelinho que dá estilo express dentro de metrô e busão.

Em todo caso, creio que mais lisinhas corajosas deveriam aderir. Pelo menos, é garantia de se parecer com alguma celebridade instantaneamente, afinal até elas ficam parecidas com esse cabelo:

Mayana Moura

Catherine Zeta-Jones em “Chicago”

Olivia Wilde em “Tron”

Cate Blanchett em “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”

Selma Blair em “Hellboy 2”

Katy Perry

Katie Holmes

.

E aí, alguém usaria sem ter um cabeleireiro a tiracolo? E os meninos, o que acham? 8)

Receitinha para fazer música pop – Modos de Usar

Ooops…! Pop did it again.

Quando dona Ke$ha estourou no comecinho do ano, de cara achei sua “Tik Tok” muito parecida com “The Party”, parceria da Uffie com o Justice, fato que rendeu post por aqui. Pois bem, pouco depois começaram rumores de que ela teria realmente plagiado a outra, mas como toda boa acusaçãoo de plágio termina com discurso de “liberdade de expressão”, não deu em nada.

Enquanto Justin não volta, temos Brett Domino.

É, versões são bem vindas:


.

Brett Domino, esse carinha de óculos cantando e tocando, tem 26 anos, mora em Leeds, na Inglaterra, e mostra que é um músico (e um editor de vídeos!) de mão cheia, pois mantem um canal super atualizado no Youtube, cheio de versões de músicas, todas devidamente realizadas de uma forma inusitada.