Glow: a nova série empoderada da Netflix tem tudo para virar hit

Mulheres no controle de seus corpos, carreiras e do rumo de suas próprias vidas: são assim as personagens de “Glow”, a nova série original da Netflix que tem tudo para ser mais um sucesso da plataforma de streaming! O seriado das mesmas produtoras de “Orange is The New Black” mergulha no universo da luta livre feminina pegando carona no programa de TV “Gorgeous Ladies of Wrestling”, que existiu de verdade e foi ao ar nos Estados Unidos nos anos 80!

Além de muita música e moda 80’s, a série traz nada mais nada menos que 14 mulheres lutadoras na tela e, entre elas, rostinhos famosos como o de Alison Brie (“Mad Men”) e Kate Nash (sim, a cantora britânica!). Dá o play no vídeo da crítica para entender porque já tem tanta gente torcendo por uma segunda temporada! <3

Aproveita e se inscreve no canal  para receber os vídeos primeiro!

O mundinho “Black Mirror” do filme “O Círculo” e as séries canceladas pelo Netflix

Fazendo um compiladão dos vídeos da semana, hoje trago a crítica do filme “O Círculo” e também um papo sobre porque a Netflix está cancelando diversas séries de uma vez. No filme, acompanhamos a jornada de uma jovem profissional tentando crescer na carreira dentro de uma empresa gigante do ramo da tecnologia e comunicação e as implicações que o fim da privacidade pode trazer para quem topa esse acordo de compartilhar tudo (ou quase).

A ideia é boa, de fato, mas o que se vê no filme com Emma Watson e Tom Hanks é uma mistura nauseante de “Black Mirror” com “Malhação”: um roteiro leve e tão ingênuo quanto ir correr ali e tomar um suco no Gigabyte. Por outro lado, o filme acerta na mosca ao criticar o ambiente de trabalho desse tipo de empresa e suas ocasiões sociais infinitas, que sugam o que ainda há de vida lá fora de profissionais sobrecarregados.

Veja a crítica para entender:

Dear White People: um papo sobe a incrível e importante série do Netflix

Na última semana terminei de assistir a nova série original da Netflix, “Dear White People”, e trago agora um comentário sobre essa série que, além de tratar de assuntos importantes, é extremamente bem feita e tem direção de arte e fotografia caprichadas! A trama acontece numa universidade da tradicional Ivy League dos Estados Unidos e toda a história se desenrola quando um grupo de alunos passa a denunciar atos de racismo depois de uma festa de Halloween em que os convidados eram estimulados a fazer “blackface”.

A discussão super relevante, a boa direção e o elenco já estão garantindo uma avaliação altíssima para a série no Rotten Tomatoes.  Certamente esta é uma daquelas obras obrigatórias para os brancos refletirem sobre os próprios privilégios e exercitarem um pouco o músculo da empatia. Para falar de todas estas questões com propriedade, convidei a Xan Ravelli, do Soul Vaidosa, para vir comigo nessa.

Dá o play e se inscreve no canal para receber os vídeos primeiro!

#Girlboss: crítica da série e o que realmente aconteceu na vida real

Quem acompanha este blog há algum tempo, deve saber que acompanho o trabalho da Sophia Amoruso há muitos anos. Mesmo se envolvendo em polêmicas, ainda acho incrível a história de empreendedorismo dela, que saiu basicamente do nada. Tendo isso em mente, era impossível não ficar ansiosa e criar expectativas quando a Netflix anunciou uma série que contaria a vida dessa mulher.


Sophia pôde contar sua história no livro #Girlboss, que é direto e divertido, e agora pôde mais uma se ver retratada na ficção. Mas não é que eles conseguiram pasteurizar os fatos e ainda tirar umas coisas da cartola que, não só não tem nada a ver com a realidade, quanto são inclusive menos interessantes (e menos polêmicas)? Pois bem.

No vídeo de hoje, explico um pouco da história da Sophia da vida real e faço uma crítica do seriado que, sim, tem um monte de coisas bacanas e diverte, mas que passou longe de ser tão bom quanto poderia. E, pior: não empodera ninguém. Dá o play!
.

Girlboss: série do Netflix sobre Sophia Amoruso e sua grife ganha o primeiro teaser

Bem-sucedida, dona da própria empresa de moda e do próprio nariz, Sophia Amoruso inspirou mulheres mundo a fora com seu livro “#Girlboss”, que entrou para a galeria de best-sellers do New York Times. Mais que um “guiazinho” (ou menos que um guiazinho, dependendo do ponto de vista) para se tornar CEO, o livro traz histórias, conselhos e até mesmo dicas de moda da mulher que levantou a grife Nasty Gal a partir de um mero brechó do Ebay. Sonho impossível? Talvez! O fato é que desde o livro, Sophia mostrou que é uma criativa de mão cheia e transformou seu título-hashtag em marca e acabou animando jovens mulheres a encontrarem o empreendedorismo dentro de si.

Criadora e criação: Sophia Amoruso e o livro “#Girlboss”

Quais são os sinais de que está na hora de parar de assistir uma série?

Netflix, HBO, Fox… Quantos canais de séries você assiste ultimamente? E quantas séries você só assiste porque está habituado, mas lá no fundo já te encheram o saco? No vídeo de hoje, mostro 5 sinais de que está na hora de você abandonar esse seriado que só te dá desgosto – querida Walking Dead, estou QUASE olhando pra você! kkk 

Aproveita e se inscreve no canal para receber os vídeos primeiro!